Machismo velado - eta sociedade

Estamos numa naquele período inglório (ao menos até agora) de vender um apartamento e comprar outro. Cansativo, desgastante, divertido, passível de sonhos mirabolantes mas para mim, acima de tudo, revelador. Revelador de um machismo por parte dos corretores de imóveis.

Na maioria das vezes, o primeiro contato com a imobiliária sou eu quem faço. Ligo, converso com o corretor, falo dos apartamentos cujas fotos já vi nos sites da imobiliária, tiro dúvidas, pego alguma informação a mais e, se já me interessa, marco a visita no imóvel. Ou seja, o primeiro filtro é meu e do Du via site. O segundo, meu na conversa com corretor - que nem sabe da existência de um marido na jogada.

Pois é só chegar na porta do prédio que vamos visitar e o corretor ver a presença da figura masculina que passo a ser sumariamente ignorada. A conversa passa a ser toda com o Eduardo. É com ele que fica o cartão de visitas e é para ele, impreterivelmente, a despedida final: "Se quiser ver de novo, tirar alguma dúvida ou fazer uma proposta, é só me ligar". E eu fico lá, de rainha da Inglaterra.

Até que o último que nos mostrou um apartamento nos tratou por igual. Quando ele me entregou seu cartão de visitas - antes mesmo de entregar ao Eduardo - quase fiquei emocionada. Se eu tivesse dinheiro para comprar o lindo imóvel de uma pequena fortuna que ele nos mostrou, eu comprava só por causa da postura anti-machista do corretor.

E tenho dito. Ou melhor, desabafado.

3 comentários:

Duane disse...

bom, em aulas de negociação e etiqueta que já tive...os professores sempre disseram que se fosse um casal com quem vc esta negociando, considerando que sou mulher, primeiro devo dar o cartão para a mulher depois para seu marido!!p evitar a pessoa achar que vc está "dando em cima" do marido dela! acho que pode ser o mesmo que os corretores pensam!!Porém, mal sabem eles que a palavra final é sempre da mulher neh!..rsrsrs..acho que eles precisam se atualizarem!!!

Liene Maciel disse...

O mais estranho, Du, é que eles não só não me davam o cartão, mas me ignoravam mesmo. Nem conversavam mais comigo ao longo da visita! Como se eu não estivesse mais presente. Se dessem um pro Edu e outro pra mim na sequência, beleza.
Mas gostei da explicação 'técnica' da entrega do cartão. Valeu. bjs

Duane disse...

nossa ai eh complicado neh..que desaforo!!! da próxima vez vc se intromete e diz oiiiiieee estou aqui vc tah me vendo>