A grande mão do Estado

Volta e meia aparece um Projeto de Lei que se diz tentar diminuir as desigualdades entre grandes empresas nacionais e as "coitadas e indefesas" empresas regionais. A nova investida é uma obra da deputada petista Maria do Rosário. Pelo seu Projeto de Lei, passaria a ser obrigatório que 20% das verbas publicitárias dos três governos, de empresas públicas e mistas sejam destinadas a empresas regionais de comunicação de pequeno e médio porte. (mmonline)

No papel parece ótimo, soa como uma tentativa de democratização da verba publicitária estatal. Uma forma de incentivar as pequenas empresas regionais de comunicação. Na prática, corre grandes chances de se tornar mais uma forma de desperdício de dinheiro público.

Qualquer agência que atenda os orgãos do governo, empresas estatais e mistas tem, ou deveria ter, um departamento de mídia que analise e indique os veículos mais efcientes e relevantes para a veiculação das mensagens publicitárias desses clientes. Independente do veículo ser regional ou nacional , grande ou pequeno, o que deveria importar na escolha é a eficácia de cada um deles na propagação da mensagem. Nada mais democrático que um ambiente onde mais eficientes se sobressaiam.