¿Por qué no te callas?

Sempre tive curiosidade em saber se o gasto de uma nação com a manutenção de sua Família Real valeria ou não a pena. Acho bonita a tradição, seus rituais, embora não concorde que alguns tenham o privilégio de serem sustetados pelo Estado sem dar uma contribuição equivalente.

Na verdade, além de servirem como atrativo turístico (o que não é pouco), nunca soube em quê um membro de uma família real poderia ser útil ao seu país. Ainda não sei, mas a Família Real Espanhola - que já tinha meu respeito -, ganhou minha admiração. Acho que pela primeira vez em uma Cúpula Ibero-Americana eu me senti verdadeiramente representado por um "governante". Pena que não foi o meu. Mas isso não importa. Não sei se Aznar merecia ou não as críticas que recebeu ou mesmo as defesas de seu sucessor e de Sua Alteza. Mas não tenho dúvidas que o presidente venezuelano mereceu o puxão de orelhas.

Vida longa ao Rei.

3 comentários:

Redatozim disse...

Está falando mal de "mi general"!?!? Um ano sem petróleo pra você, monarquistazinha safado. Só álcool e olhe lá, porque se conheço bem o Papai Lula, sua ração do combustível canavieiro corre risco de ser cortada também.

Liene Maciel disse...

Bendito sea el Rey!!!

Eduardo César disse...

Pô! Cortar minha ração é golpe baixo. Se isso acontecer, terei que apelar ao maior estadista brasileiro.