Esgoista sim, mas consciente

Não acho que todos os empresários são demoníacos e tenho certeza de que nem todos são santos. Mas sei que o objetivo das empresas é gerar lucro e, para isso, precisam contratar bons funcionários e pagá-los de acordo com os serviços prestados.

O problema é quando a empresa não consegue enxergar além de seus gastos. Não investe o suficiente ou até mesmo explora seus empregados. O resultado, além de não conseguir reter bons profissionais, geralmente é um produtos de qualidade inferior.

Enzo Rossi, um empresário de massas italiano, resolveu fazer uma experiência sobre o salário que pagava a seus empregados. Decidiu que ele e sua mulher viveriam, durante um mês, somente com o valor de um salário mínimo (mil Euros) para cada um. Depois de 20 dias de experiência, eles já não possuiam um centavo. Rossi encerrou o teste e imediatamente concedeu um aumento de 20% aos seus empregados. Perguntado pela revista Veja se por acaso ele seria um marxista, respondeu: "Simples - se o salário é insuficiente, os funcionários vivem sobre stress... consequentemente trabalharão mal. Quero que eles estejam bem para aumentar meus lucros. Por isso posso dizer tranqüilamente que sou um egoista."

Antes um patrão egoista consciente do que um solidário despreparado.

4 comentários:

danny falabella disse...

Mil vezes um patrão egoísta...ah se todos fosse ultra egoístas como este...aqui no Brasil esta moda não pega não...aiaiaiaia...

Eduardo César disse...

Também acho que não Danny.

APPedrosa disse...

Com esse método, pode ser egoísta o quanto quiser. Eu quero um patrão egoísta assim.

Eduardo César disse...

Todos queremos. Quem sabe a gente não acha um? Ou melhor, sejamos um.