Cada um ganha a vida como pode

Que cada um ganha a vida como pode, todo mundo sabe. Mas na verdade, cada um ganha a vida como a imaginação permite. O personal friend é um bom exemplo (veja post anterior). Mas o que dizer de uma mulher que passou um bom tempo nos Estados Unidos vivendo de vender sua calcinha usada?

Eu tive que ler a matéria que saiu na revista Marie Claire de janeiro duas vezes para assimilar o estranhamento. Mas é isso mesmo. A mulher (brasileira - não sei se alguma outra teria tamanha criatividade) anunciava na internet que vendia sua calcinha usada. Marcava o encontro com o interessado em uma Starbucks, dava um jeito da figura ver sua calcinha enquanto tomavam um café e conversavam, depois ia ao banheiro e voltava com a peça íntima em uma sacolinha. Aí, era só entregar a mercadoria em troca de alguns bons dólares.

Como de louco todo mundo tem um pouco - e alguns muito - um dia um dos clientes propôs comprar um copo do xixi desta mulher. Para beber ali mesmo, na frente dela na Starbucks. Pela bagatela de US$ 200,00.

3 comentários:

danny falabella disse...

minha nossa...só me veio a palavra bizarro enquanto lia...e se a moda pega????

Josi disse...

que nojo!!

elza disse...

Por curiosidade, fui procurar no Google sobre a matéria do "Eu, leitora" que a Marie Claire publicou sobre mim e achei o seu blog! Acabei criando um também para mim para escrever sobre as formas que eu tenho ganhado dinheiro por aqui. Se quiser dar uma olhada, o link está aqui!

p.s.: Apesar de eu vender calcinha e xixi, a matéria da revista foi bem modificada... =/