Um único planeta.

Achei bem interessante quando vi na globo.com que na Malásia ocorre o Festival de Moda Islâmica. Na minha inocência não cabia que uma população com hábitos tão tradicionais pudesse incorporar uma das grandes celebrações do capitalismo ocidental como o desfile de moda.

Me lembrei que desde que ouvi falar sobre globalização pela primeira vez ouço sussurros praguejando contra o fim das tradições locais. Pessoas que defendiam que, por exemplo, os índios continuassem vivendo nas matas sem usufruir dos benefícios da tecnologia, enquanto os pregadores das tradições continuavam a usufruir de suas maravilhas tecnológicas em seus apertamentos da zona sul. Como se alguém tivesse o direito de decidir sobre como outra pessoa deva ou não viver.

Se uma tecnologia ou costume estrangeiro é positivo, por que não incorporá-lo? Nada contra as tradições e muito menos a favor dos desfiles de moda, mas as coisas evoluem e os costumes devem seguir o mesmo caminho. Afinal, a troca de mercadorias e conhecimentos não obriga as pessoas a mudarem seus hábitos - são seus próprios anseios que motivam a mudança.


Desfile de moda Islâmica na Malásia.

2 comentários:

danny falabella disse...

Concordo. Tudo com dose de bom senso é bem vindo. Por que não usufruir do que ha de melhor das outras culturas? Sabendo equilibrar tudo é válido...e pros que não sabem, fazer o que? paciência.

Eduardo César disse...

Muita paciência Danny, muita...