Faça o que digo, não o que faço.

Todos sabemos que colocar um discurso em prática não é uma tarefa fácil. Quando o discurso vem da boca de um politíco, soa impossível. Muitas empresas também não conseguem construir uma ponte entre o que pregam e o que fazem. Como diria o filosofo Ralph Waldo Emerson: "Seus atos provocam tanto barulho na minha cabeça que não consigo ouvir o que você diz."

Joãozinho entrou em contato com a UNI para fazer uma matéria pendente do curso de pós-graduação em Marketing e Comunicação. Depois de preencher uma requisição, o atendente pediu para que ele voltasse no dia seguinte pois, embora fosse sua função na Universidade, não sabia os procedimentos para continuar o processo. No dia seguinte, o atendente continuou não sabendo o que fazer e também não havia ninguém que soubesse. Cansado desse vai-e-vem, Joãozinho esperou muito até que um supervisor aparecesse para resolver o problema.

Para uma instituição que se dispõe a ensinar sobre fidelização de clientes, parecia que não entedia bem do assunto. Já com dúvidas se valeria a pena continuar o curso, Joãozinho pergunta quando chegaria sua carterinha para poder frenquentar o campus. "Você não terá uma carteirinha não. Como você está fazendo só uma matéria, fica muito caro fazer uma pra você", respondeu o atendente com toda sinceridade. "Olha, muito obrigado, mas acho que já aprendi muito aqui. Não precisa continuar preenchedo este formulário. Mais tarde eu te ligo."

6 comentários:

Redatozim disse...

Vai comendo, Raimundo. Ou melhor, Joãozinho. Quem mandou não fazer odonto na Espanha como sua tia queria?

Eduardo César disse...

Só lamento.

Liene Maciel disse...

ai, ai. A vida é um eterno aprendizado. Por métodos cada vez mais diferentes.

Eduardo César disse...

E quando você acha que não pode piorar, superam suas expectativas.

dan falabella disse...

e olha que vc nem precisou ir como "cliente oculto" para fazer este diagnóstico... que triste..

Eduardo César disse...

Bota triste nisso.