Faltou mudar de ideia

Ir ao supermercado não é uma das obrigações mais agradáveis para Joãozinho, mas ontem ele não poderia mais adiar. Depois de algum tempo percorrendo os corredores do Carrefour, já estava ele na fila do caixa, satisfeito por estar chegando ao final da tarefa.

Quando colocava os produtos na esteira, ele ouviu a operadora do caixa pedir para outro funcionário substituir um bule de café pois o código de barras não funcionava. Conformado que perderia mais alguns minutos, Joaõzinho esperou o retorno do bule para que a compra do cara a sua frente fosse finalizada. Quando enfim o bule chegou, a operadora do caixa não conseguiu disfarçar sua surpresa ao fazer a leitura do código de barras:

- QUARENTA E OITO REAIS E OITENTA CENTAVOS? NUH... QUE BULE CARO!

Tomando conciência do que acabou de falar, ela se justificou:

- Caro... assim, eu não compraria um bule neste valor... mas...

Com a mesmo vergonha da operadora, ou até com um pouco mais do que ela, o comprador deu sorriso sem graça, pagou a conta e foi embora sem dizer nada.

8 comentários:

APPedrosa disse...

Ahaha, essas atendentes sinceras são um caso sério! Outro dia no sacolão a mulher pesou a banana, digitou o código e gritou "fulano, o preço da banana é esse mesmo?" "é". "nossa, não sabia que tinha subido tanto!" Mas, nesse caso, a compradora disse "nem tinha reparado, então, não vou levar" e se foi de mãos abanando.
Abraços,
Ana Paula

redatozim disse...

eu tenho um concunhado que é assim: tudo o que você compra é caro, tudo o que ele comrpa é barato. Mas, enfim.

Eduardo César disse...

Essa mulher foi mais sensata, Ana. Não dá para comprar se até o vendedor acha o seu produto caro.

Eduardo César disse...

Ué Maurilo, quando precisar de alguma coisa, é só pedir para ele comprar pra você. Você vai acabar economizando, se não em grana pelo menos em chatiação.

Bruninha disse...

Nossa, como diria minha irmã "que soco no peito". São horas e horas de trabalho, mil pessoas envolvidas no processo de satisfazer o cliente e na hora H, no final da fila, na última curva, vem uma criatura e fala um coisa dessas... Fala sério! Sofro!

Eduardo César disse...

Pois é Bruninha. O pior é que isso, no fundo, não passa de uma questão de economia. A empresa economiza no salário, economiza em treinamento e depois não entende porque as vendas não ocorrem.

danny falabella disse...

e o Joãozinho comprou assim mesmo??heheheh

Eduardo César disse...

O Joãozinho comprou. Ele não tinha mais humor para enfretar outro supermercado.