Ciência

No imaginário coletivo, cientistas são aqueles sujeitos de óculos, cercados por tubos de ensaio, que trabalham criando coisas surpreendentes para o progresso da humanidade. Também existem aqueles que desenvolvem armas, podemos até concordar que suas pesquisas não trazem um bem para humanidade, mas não deixam de gerar um progresso científico.

Mas há pesquisas em que não conseguimos perceber claramente sua utilidade. Na verdade, são aparentemente inúteis e se destacam mais pelas risadas que provocam quando mostradas nos noticiários do que pela sua utilidade. Para premiar estas pesqisas é oferecido pela revista humorística Annals of Improbable Research o prêmio Ig Nobel.

Pode não parecer, mas este prêmio não é simplesmente uma piada. Para recebê-lo, a pesquisa não basta despertar sorrisos. O trabalho deve ter sido produzido, de preferência publicado em revistas conceituadas, e por último é revisado por cientistas espanhois que atestam sua "seriedade".

Sem falar no tempo e no dinheiro empregado nestes estudos, é difícil saber a real motivação destes pesquisadores e, principalmente, de seus financiadores. Veja alguns ganhadores de 2008:

Paz: O Comitê Federal Suiço de Ética sobre Tecnología Não-Humana, e todos os cidadãos suiços, por aprovarem em abril o princípio legal de que as plantas têm dignidade.

Medicina: O norte-americano Dan Ariely, por demostrar que falsas práticas medicinais caras funcionam melhor que falsas práticas medicinais baratas. (Estudo publicado no Jornal of American Medical Association)

Biologia: Marie-Christine Cadiergues, Christel Joubert y Michel Franc, da Faculdade de Veterinaria de Toulouse (França), por demostrarem que as pulgas pulam mais sobre os cachorros do que sobre os gatos. (artigo publicado na Veterinary Parasitology)

Química (2 vencedores): Os norte-americanos Sheree Umpierre, Joseph Hill y Deborah Anderson, por descobrirem que a Coca-Cola é um espermicida efeciente, (publicado no New England Journal of Medicine), e os taiwaneses C.Y. Hong, C.C. Shieh, P. Wu y B.N. Chiang, por descobrirem que a Coca-Cola não é um espermicida (publicado no Human Toxicology)

Economia: Geoffrey Millar, Joshua Tyber y Brent Jordan, da Universidade do Novo México (EUA), por descobrirem que os ganhos de uma stripter dependem de seu ciclo menstrual. (publicado no Evolution and Human Behavior)

2 comentários:

danny falabella disse...

ôoo falta do que fazer meu Deus...tanque de roupa suja e chão pra esfregar pra este povo urgente!

Eduardo César disse...

Um enxada também não faria mal.