Como assim?

Joãozinho se despediu da simpática atendimento que deixava uma das mais tradicionais agências da cidade. Ao voltar para a criação, sentiu uma certa agitação. Ele não havia percebido, mas a atendimento não foi ao departamento apenas para dizer tchau, ela também foi recolher alguns trabalhos. A criação se debatia, não sabia porque diabos a atendimento tinha recolhido algumas peças para colocar em seu portifólio.

Depois de ouvir algumas explicações e não se contendo, Joãozinho, o estagiário, levantou a hipótese de que talvez a atendimento não gostasse muito dos trabalhos criativos da agência e tenha pegado as peças para mostrar o tamanho do seu esforço e competência para aprová-las. Bem, metade da criação riu da piadinha e seu deu por satisfeita com a explicação - a outra metade parou de cumprimentar o garoto a partir de então. O fato é que eles nunca souberam a razão.

Alguns anos se passaram, Joãozinho estava "layoutando" um anúncio para uma siderúrgica quando chegou um mídia para se despedir. Depois de avisar que iria para outra agência, o mídia, que acabara de retornar de férias, olhou para o monitor e exclamou, indignado: "Que bosta! Foi só eu sair de férias para a siderúrgica anunciar em revista. Eu não tenho nenhum anúncio dela em meu portifólio." Desta vez, embora já não fosse mais um estagiário há muito tempo, Joãozinho ficou calado. Não achou nenhuma hipótese plausível, não conseguiu nem mesmo fazer uma piadinha. Depois de alguns segundos, só esboçou um pois é.

4 comentários:

Redatozim disse...

Vou começar a filmar as campanhas que tenho que salvar em reuniões e montar um portfolio de atendimento pra mim.

Eduardo César disse...

Haja fita, Maurilo.

Danny Falabella disse...

oba filme de comédia ou drama?????ou será que tem muito terror??

Eduardo César disse...

Acho que o filme será mais para um dramalhão mexicano do que para terror.