Então é Natal

A cada ano, a comemoração do nascimento de Cristo é mais absorvida pela celebração do consumo. Com sua farta distrubuição de presentes e a ajuda das promoções e propagandas natalinas, Papai Noel vem conquistando cada vez mais espaço na cabeça das pessoas.

Nas decorações das lojas, então, nem se fala. O Bom Velhinho não deixa espaço para a concorrência. Mas parece que, em pelo menos uma cidade, Noel ficará no prejuizo. A câmara municipal de Fluom-Winzeln, uma cidade com cerca de 3 mil habitantes na Alemanha, resolveu banir o Papai Noel (sim, não são só os nossos vereadores que andam muito ocupados).

O objetivo deste banimento é prestigiar a tradição de São Nicolau. O prefeito afirmou que Noel, além de ser um personagem artificial, não lembra em nada São Nicolau: uma pessoa que ajudava os carentes e um verdadeiro amigo das crianças. O comércio e as escolas aderiram à campanha de banimento e retiraram as decorações com Papai Noel e afixaram cartazes mostrando que o velhinho de vermelho não é mais bem-vindo.

Resta saber se, mesmo com o risco de não ser bem recibido, Papai Noel deixará presentes ao pé das árvores de Fluom-Winzeln.

2 comentários:

redatozim disse...

Mas e o São Nicolau, deixa presentes ou não?

Eduardo César disse...

Bem, tecnicamente não. São Nicolau ajudava as crianças carentes. Nas histórias que encontrei, ele não distribuía presentes e sim ajudava crianças carente como por exemplo dando moedas de ouro para elas. Papai Noel seria inspirado nas histórias de São Nicolau mas de certa forma mais democratico. Noel presentea os mais abastados e os mais velhos também, e não tem mais o carater filantrópico.
Agora, como os comerciantes da cidade entraram na campanha de substiuição, acredito que São Nicolau não irá decepcioná-los e também deixará presentes para todos.