Importante é competir?

Os Jogos Olímpicos começarão dentro de poucos dias no que promete ser uma das Olimpíadas mais polêmicas dos últimos tempos. No esporte, as polêmicas não são restritas aos erros de árbritos ou ao uso de anobolizantes para melhorar o desempenho. Os lemas "o importante é competir" ou "o espírito olímpico prevalece" não são levados muito a sério por atletas, organizadores e nem políticos. Afinal, um milhão de pratas não valem um ouro.

Boicotes políticos como ocorridos em Los Angeles e Moscou difícilmente ocorrerão novamente. O esporte se torna um negócio cada dia mais rentável com cifras cada vez mais astronômicas. Imaginem o prejuízo não só para o país sede como também para empresas, que vão desde as de material esportivo, de refrigerantes às de cartão de crédito, se uma delegação como a dos EUA decidisse não participar dos jogos por protesto. Por quatro anos, o mercado americano não teria campeões olímpicos para se espelhar, vender novos produtos e angariar mais "ouro" para seus patrocinadores. 

A medalha de ouro que brilha no peito do atleta pode até ser a parte mais visivel de uma vitória olímpica, mas a grande riqueza passa é pelos bastidores. Não é à toa que cidades já brigam para sediar os jogos de 2016 sem ao menos terem começado os de 2008. Todas estão em busca do ouro olímpico. E nós ficamos na torcida verde-amerela.


As marcas das cidades que concorrem para sediar as Olímpiadas de 2016.

4 comentários:

danny falabella disse...

adorei ver estas marcas...e só...tenho mó preguiça de olimpiadas, confesso...

redatozim disse...

se depender das logos o Rio saiu na frente.

Eduardo César disse...

As logos são bem interessantes como acho que deve ser bacana participar (mesmo que seja como mero torcedor) de uma olimpíada. Mas confesso que pela televisão, só futebol e basquete me animam.

Eduardo César disse...

Acho que está pau-a-pau com a de Tokyio Maurilo. Mas temo que estejamos um "pouco" para trás em infra-estrutura.