Um estranho no ninho

Mesmo que seja por uma simples peça de roupa ou um corte de cabelo inusitado, os "diferentes" chamam a atenção e, às vezes, chegam ao ponto de incomodar os "normais" que os cercam.

O estranhamento que eles provocam chega a ser pertubador, e leva os "normais" a um série de questionamentos. Mas, às vezes, os diferentes nem são tão diferentes assim. Podem estar apenas fora de um contexto habitual. O que tem de tão diferente estar sentado, lendo um livro e tomando um café, por exemplo? Nada. A não ser se você esteja sentado, tomando um café e lendo um livro em uma das poltronas do Diamond Mall.

Sim, esta típica cena de cafeteria ou livraria desviou a atenção de todas as vendedoras da loja em frente e de alguns consumidores que paravam e se perguntavam como era possível alguém ir para um shopping ler. Divertindo-se com as indagações e com as respostas especulativas que ouvia, Joãozinho continuou lendo e tomando seu café.

E por que diabos alguém iria para um shopping ler um livro? Talvez porque Joãozinho foi deixar sua mulher na Anna Pegova e descobriu que tinha saído sem documento e sem dinheiro. Por sorte, havia um livro e alguns trocados no carro e ele achou melhor não arriscar voltar para casa e cair numa blitz. Talvez... isso é só uma especulação. Talvez ele seja simplesmente diferente.

2 comentários:

Liene Maciel disse...

Se Joãozinho estivesse lá à toa, olhando pro tempo (ou para as vitrines) enquanto esperava sua mulher, ninguém teria notado. Mas nesse país onde quem lê é um ser estranho, dá nisso.

Eduardo César disse...

Ficar olhando as vitrines seria o esperado. Mas nem acho que o objeto de estranhamento tenha sido o livro não. Acredito que se estivesse desenhando em guardanapo ou jogando no celular chamaria a mesma atenção. Qualquer coisa diferente do esperado.