Declarações de Guerra

Andando sempre em campo minado e no meio de fogo cruzado, o Atendimento não sai da mira do cliente e nem da criação. Mensageiro das bombas e também das conquistas, ele é o profissional responsável tanto por municiar a criação de informações para a realização das campanhas quanto de apresentá-las e aprová-las com o cliente.

Alguns Atendimentos velhos de guerra desenvolveram táticas bastante peculiares para tentar evitar um conflito quando uma bomba é jogada direto no QG da criação:

A Atendimento delicada (falando com sotaque paulista): Aqui lindinhoô, sei que vocês adoraram esta imagem. Mas quer fazer o cliente feliz? Troca a porrrrra desta foto e me manda de novo.

A Atendimento gatinha (miando bem mansinho): Joãozinhoooo, aqui... o cliente  gostou da proposta, mas quer ver outra opção. Você consegue fazer uma nova campanha pra mim até amanhã cedo, não consegue? Por favor...

O Atendimento lado-bom-das-coisas: Apresentei a campanha, mas não foi aprovada. Pelo menos, serviu de isca para descobrirmos o que o cliente realmente quer.

O Atendimento sem nocão: O cliente amou a campanha, fez apenas algumas alterações: o enfoque agora é outro. Não poderemos utilizar este nome para a ação. O filme não vai mais existir e ilustração vai ter que ser trocada. Mas vamos manter todo o resto. Ah, reapresentação da campanha ficou para amanhã cedo. Parabéns!

Como se vê, às vezes um conflito é inevitável.

4 comentários:

Danny Falabella disse...

é em homenagem a estas queridas criaturas que existe um blog chamado mau brifado....
agora que meu sangue ferveu ao ler o post ferveu...é uma das delícias de ser freela: não ter atendimento..É osso parar trabalho para ir em reunião, mas qdo não se tem este "filtro" por incrivel que parece a coisa flui melhor..

Meus trabalhos são aprovados quase que em sua totalidade, acredita?? E tem mais. não ocorre só comigo, não...outros amigos que vivem de freela como eu tem este mesmo prazer. O nosso problema é só com o cliente...mas aí tb é querer demais né? Clienet é mau necessário..hehehe

Eduardo César disse...

Danny eu prefiro trabalhar com atendimento. Alguns são muito bons e fazem bem o seu trabalho. Mas estes não têm histórias engraçadas. Por isso que os que pisam na bola de vez em quando se sobressaem (afinal de contas todos nós pisamos na bola algum dia). O bom atendimento é aquele que sabe fazer a pergunta certa e que pensa em como resolver o problema. E não como um mensageiro, ela faz as perguntas corretamente, como você.

Anônimo disse...

O Cafa, eu tenho certeza que eu sou do tipo que motiva os Criativos, com as minhas frases chavões, pedindo para se criar algo novo para o cliente mais bitolado das Minas Gerais.

Danny, não divulga o seu ponto de vista não, senão minha profissão entra em extinção, ok.

Eduardo César disse...

Meu caro anônimo, pode ter certeza que sim. Lembro que você sempre motivou os criativos. Não esqueço do tapume para o cliente mais bitolado de Minas. Aquele PIT foi um marco. Nunca antes na história daquela agência, houve um PIT tão motivador. E, acrdeito que não haverá outro igual.