Cara de Tiozão

O mundo está em constante mutação. Conseguir acompanhá-la é uma questão de sobrevivência. Quem estudou biologia deve se lembrar de Darwin e sua tese sobre seleção natural. Só os organismos que se adaptam melhor ao ambiente sobrevivem.

Para as marcas não é diferente. Não acompanhar as rotações do mundo é correr um sério risco de se tornarem velhas, ou pior, obsoletas. É como ter uma banda de Rock aos 64 anos, soa desafinado.

Mas até mesmo um senhor que completa hoje 64 anos de idade pode correr na mesma velocidade da terra. Não só acompanhar as mudanças como lucrar (e muito) com elas, mesmo que desafine de vez em quando. Os Rolling Stones souberam fazer isso muito bem. Eles acabaram de superar o U2 em lucro de uma só turnê. Não é só pelas novas músicas: a banda inglesa se reiventou e adaptou seus antigos sucessos para os ouvidos de hoje. Se você tem dúvidas, pegue a gravação original de "Satisfaction" e compare-a com uma atual (como a do disco ao vivo Flashpoint). É a mesma música, mas um outro ritmo. Acompanhar sempre o novo ritmo é a chave para fazer sucesso tanto na pista de dança como no mercado. Mesmo que você tenha cara de Tiozão. Parabéns Mick Jagger.

2 comentários:

Rubens disse...

Aos vinte e poucos Mick Jagger disse que jamais cantaria "I can't get no satisfaction" quando chegasse aos sessenta. Mudou de fato. Continua cantando e rebolando. Mas a cara de tiozão não muda.

Eduardo César disse...

Pois é Rubens, acho que ninguém em condições normais de temperatura e pressão continuaria cantando e rebolando como Jagger nesta idade. Claro que se estivesse doidão ou se fosse por muito dinheiro a coisa poderia mudar de figura.