Se tentar melhorar, estraga

A pausa para um café depois do almoço é dos momentos mais sagrados e revigorantes para mim. E já é rotina pedir o espresso nosso de cada dia na mesma cafeteria. 

Embora, na minha opinião, seja o mais saboroso café da Savassi, a cafeteria que frequento tem um funcionário que é... digamos assim... meio devagar, quase parando. A sua falta de iniciativa incomodava, mas não comprometia muito o serviço. Mas, em dezembro, sua atitude mudou. Não sei se foi por uma orientação da chefia ou se foi por uma resolução pessoal, ele se tornou proativo. 

Proativo até demais. Bastava eu colocar os pés na cafeteria que ele me oferecia uma cesta de natal. Não adiantava eu falar que não queria, que o preço estava caro, que já tinha comprado todos os presentes... ele insistia na venda diariamente. Pior, eram duas tentativas por dia. Uma na entrega do café, o que consumia todo meu tempo livre porque ele explicava todas as características da cesta todos os dias, e a outra na hora do pagamento. Quando percebi que não teria mais sossego, troquei de cafeteria por cerca de um mês. 

Com esperança de que as benditas cestas tivessem acabado, retornei hoje à cafeteria e fui logo recebido por uma velha e conhecida pergunta:  
- E a cesta?
- Uai, você já não vendeu tudo?
- Vendi. Mas posso pedir mais uma pra você....

Agradeci, recusei a oferta e pedi os dois espressos - sentido falta do tempo que o que mais me incomodava naquele lugar era ver o café se esfriando em cima do balcão. 

2 comentários:

Amanda C. disse...

Muito bom o texto! KKK Estou seguindo, gostei daqui.

http://realinharorbitas.blogspot.com/

Eduardo César disse...

Obrigado Amanda.