Um verdadeiro cervejão

Há, atualmente, uma disputa pelo "título" da cerveja mais forte do mundo. Embora o Brasil possua uma marca recheada de guerreiros, essa disputa não passa por aqui. Nossas cervejas têm em média 5% de álcool, já as que brigam pelo título, possuem 10 vezes mais.

No mês passado, a antiga detentora do título com 45% de álccol em sua composição "The End of History Beer" entrou e saiu do mercado. A Cerveja foi produzida em uma edição limitadíssima, apenas 12 garrafas, pela cervejaria alternativa Brew Dog e tinha a pretensão de mudar a percepção dos consumidores sobre uma cerveja.

Pela quantidade produzida, talvez a cerveja não tenha mudado a percepção de muita gente mas fez a concorrência se mexer. A nova detentora do "título" com 60% de álcool em sua composição é a  cerveja "Start the Future" produzida pela cervejaria holandesa 't Koelschip.


Seus produtores recomendam o consumo moderado da bebida, em pequenas doses da mesma maneira como se degusta uma boa pinga. Mas nem precisava, com os preços em torno de 35 euros (R$ 81,00) a garrafa da Start the future e de 500 libras (R$ 1.393,20) a garrafa da The End Of History Beer as chances de alguém beber um caixa são um pouco remotas.



The End Of History Beer, uma garrafa no mínimo inusitada.

2 comentários:

Boe disse...

A mais forte que já tomei tinha 13% e não dei conta de terminar a lata. Era a Maximator, da Holanda.

Eduardo César disse...

Eu nunca dei muita importância para o teor álcoolico da cerveja. Confesso que, agora, fiquei curioso e vou observar este ítem.