A falta que um redator faz.

Nome, uma palavra pelo qual uma empresa será sempre lembrada. Ele pode expressar alguma característica ou o seu ramo. Pode ser simplesmente uma palavra bonita e sonora que mereça ser lembrada. Ou mesmo pode ser as iniciais de seus sócios, o nome da esposa, do marido, do cachorro. A única coisa que um nome não poderia fazer é tirar a credibilidade de
uma empresa.

Entrar na rua e dar de cara com escavadeiras abrindo um buraco enorme no meio da pista já não é muito agradável. Olhar a plaquinha de identificação da obra e descobrir que a operação se chama "Caça-esgoto" é dasanimador. Se a Copasa não sabe onde diabos ficam os esgotos da cidade, quem saberá?

Só espero que ela os encontre rápido, antes que entupam.

12 comentários:

APPedrosa disse...

E numa loja de móveis chamada Creck, você confiaria?

APPedrosa disse...

Esqueci de dizer que há algum tempo fiz uma entrevista na Copasa e um diretor me disse que eles iriam iniciar uma operação para localizar esgotos clandestinos. Talvez seja essa a explicação para a operação que você viu.

RAFAEL PORTUGAL disse...

Como dizia o Sérgio Torres, criatividade alheia é um caso sério... ainda existem no centro de BH as lojas Paraíso das Porcas e Estrume de Ouro? Já viu a foto de uma concessionária Fiat chamada Fuck? http://novo-mundo.org/log/category/criatividade-e-ideias/page/9/

Danny Falabella disse...

eu disse no blog da Li e repito aqui: isso me dá muito medo.

redatozim disse...

Paraíso das Porcas existe, eu garanto.

Eduardo César disse...

Creck. Eu nem passaria na porta.

Eduardo César disse...

A Procura de esgotos clandestinos até justifica o nome da operação, mas ele continua sem nenhuma credibilidade.

Eduardo César disse...

Fuck é um nome foda para uma empresa. Não quero nem imaginar o slogan.

Eduardo César disse...

Realmente Danny, a sensação é exatamente essa.

Eduardo César disse...

Maurilo, fiquei com dúvidas: o nome foi um freela seu ou você é um frequentador do Paraíso das Porcas?

redatozim disse...

Edu, não nego que já frequentei, atrás de porcas e parafusos, mas quem me dera fosse freela meu. Adoro humor tosco e é tão difícil emplacar.

Eduardo César disse...

Maurilo, pela gama de exemplos que encontramos por aí, não faltarão clientes para satisfazerem sua vontade.